Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Caminhada contra o tráfico humano e a escravidão acontece pelo 2º ano em Blumenau

 

 

 

Fotos de 2018: divulgação

A partir das 9h45min do próximo sábado (19/10/19) acontece em Blumenau a segunda edição da Caminhada pela Liberdade (Walk for Freedom) , coordenada pela ONG A21. Mais de 100 participantes irão marchar silenciosamente em fila única, partindo da Praça Dr. Fritz Müller e seguindo pela Rua São Paulo, Avenida Castelo Branco (Beira Rio) e retornando pela Rua XV de Novembro, até a Prefeitura.

 

 

O objetivo é lembrar que a escravidão ainda existe e que o tráfico humano é o crime que mais cresce no mundo. Durante essa manifestação serão mostradas placas e distribuídos panfletos à população.  A proposta é ser apartidária voltada para a conscientização do problema.

Segundo a ONG, a indústria do tráfico humano lucra mais de 150 bilhões de dólares por ano no mundo todo. Estima-se que a cada 30 segundos alguém se torna um escravo e 99% das vítimas nunca são resgatadas. Infelizmente, menos de 1% dos traficantes são condenados. O telefone nacional para denúncia de tráfico humano é o 100.

O artigo 149 do Código Penal, define como análogo à escravidão, aqueles “trabalhos forçados ou a jornada exaustiva, quer sujeitando-o a condições degradantes de trabalho, quer restringindo, por qualquer meio, sua locomoção em razão de dívida contraída com o empregado”.

A ONU lembra de outras formas contemporâneas de escravidão no mundo incluem a servidão doméstica, formas servis de casamento e a escravidão sexual, ou seja, situações das quais as vítimas não são capazes de se desvencilhar de forma voluntária, digna e segura.

A A21 é uma organização global de combate ao tráfico humano e à escravidão moderna, com o objetivo de conscientizar as pessoas para a causa. Em 2018, mais de 450 cidades receberam o evento, em 52 países, alcançado mais de 70 milhões de pessoas. No Brasil, o evento será realizado simultaneamente em 17 cidades.

A fundadora da A21, a australiana Christine Caine, acredita que, ao reunir milhares de pessoas por esta causa, conscientizando e arrecadando fundos, podem incentivar o resgate e a restauração dos seres humanos que estão sendo explorados. “Estamos convencidos de que se fizermos isso juntos, se continuarmos a aparecer, se formos persistentes, se continuarmos a crescer em força, número e coragem, poderemos ver a escravidão ser erradicada em nossa geração”, enfatiza.

 

Posts relacionados

Top