Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Em rede social, recém empossado presidente da Santur declina do cargo

 

Na tarde desta quinta-feira (3/01/19), o governador Carlos Moisés e a vice Daniela Reinehr, anunciaram mais três nomes que passariam a integrar o Governo. Um deles é do professor Tiago Savi Mondo, que iria presidir a Santur (Santa Catarina Turismo S/A).

Mas às 15h33min deste sábado (5), três dias depois do anúncio, Savi publicou uma postagem em seu Facebook renunciando ao cargo. Sem deixar claro o porque da decisão, mas lembra no texto de seu perfil técnico e trajetória como professor e profissional acima de qualquer politicagem.

Durante a campanha apoiou Moisés e Bolsonaro por suas convicções e valores, mas que isso não pode ser visto como influência na escolha do seu nome. Confira a nota e tire suas conclusões:

À Sociedade Catarinense,

Utilizo deste canal de comunicação para manifestar minha posição de DECLINAR do cargo de presidente da SANTUR.

As razões que sustentaram a minha decisão passo a expor, para que não haja novamente desvirtuamento de informações. Fato é que durante o período eleitoral, manifestei-me politicamente no tocante ao pleito eleitoral à presidência da República, o que ocorreu de maneira superficial e não invasiva. Embora superficial, pelas manifestações em redes sociais e a turbulência que passei a estar inserido, pude concluir que um post de Facebook foi mais importante que mais de 15 anos de estudos, trabalhos técnicos, reconhecimento e relacionamento com o mercado.

Penso que o processo político é antes de qualquer coisa o do diálogo, de reflexões e de manifestações. Ao longo de toda minha carreira primei pela técnica, pela entrega de resultados satisfatórios aos meus clientes e alunos, e, sobretudo à própria sociedade por buscar sempre uma gestão de turismo mais profissional, qualificada e técnica. Tenho valores muito sólidos de ética, transparência e bem comum.

Quando se iniciou o processo de entrevistas para escolha ao cargo que fui anunciado, deixei bem claro que era uma pessoa 100% técnica, independentemente de corrente política, até porque não sou partidário, não sou politiqueiro, estava ali para entregar resultados que fizessem o Estado se desenvolver. Inclusive manifestei minha satisfação plena em saber que os cargos estavam sendo escolhidos de maneira técnica.

Vale ressaltar que durante o pleito eleitoral deixei claro a minha posição de voto no Governador Moisés. Sim, é possível votar em pessoas de partidos diferentes. O candidato e Governador Moisés se mostrou sempre muito transparente, ético e preocupado com resultados (valores muito parecidos com os meus).

Mantenho firmes esses valores e NÃO cederei!

O processo de politicagem não pode ultrapassar o processo técnico. Desejo, do fundo do meu coração, que o Governador Moisés possa fazer uma excelente gestão. Ficarei do lado de fora, torcendo para que tenhamos estado cada vez melhor; afinal, temos muitas oportunidades de melhorias, em especial, no Turismo Catarinense, que carece de inovação, qualificação e gestão técnica.

Aos que elevam a politicagem como a base de tudo, que revejam seus conceitos, o Brasil e Santa Catarina só irão mudar quando entendermos que existem pessoas competentes e excelentes que pensam diferentemente sobre política, visão de mundo e outras coisas. Ratifico que minha visão para SANTUR é totalmente aderente com a visão do Governador Moisés.

Desejo que o próximo gestor da SANTUR tenha muito sucesso na empreitada; que consiga lidar com os interesses, joguinhos e vaidades políticas; que olhe para os efetivos de carreira da SOL e da SANTUR, que penam há anos tentando implementar projetos de melhorias e inovadores, mas não conseguem devido à velha politicagem, presente desde sempre lá. Ao próximo gestor deixo a disposição todas as análises e materiais que construímos nesses últimos dias.

Tenho minha carreira e minha reputação ILIBADAS! Estou extremamente triste por não conseguir contribuir como havia planejado. Mas ao mesmo tempo, estou feliz e satisfeito, por manter meus valores intactos.

Não modificaria isso por causa de política. Aceitei o convite e já estava trabalhando fortemente por acreditar que poderia colocar o Turismo de Santa Catarina num patamar ainda mais elevado. São coisas da vida.
Governador Moisés: és o cara, continue firme na missão e cuidado! Vamos em frente!

Volto ao gozo das minhas férias no IFSC e dia 04 de Fevereiro estou de volta: fazendo a diferença com meus alunos, minhas pesquisas e minhas assessorias, como sempre fiz.

Vamos em frente!
Prof. Tiago Savi Mondo, PhD

Posts relacionados

Top