Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Manifestação em Blumenau pede a volta da prisão após condenação em segunda instância

 

 

 

 

Fotos: João Paulo Taumaturgo

Dezenas de pessoas se reuniram para uma manifestação em frente da Praça da Prefeitura de Blumenau, contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que acabou libertando diversos políticos presos por causa da Operação Lava Jato. O ex-presidente Luís Inácio da Silva foi um dos beneficiados pela mudança que derrubou a validade da execução provisória de condenações criminais após a condenação em segunda instância.

 

 

A concentração ficou marcada para às 10h com direito a caixão e boneco inflável Pixuleco, muito presente nas manifestações de 2016 que resultaram no impeachment da ex-presidente Dilma Roussef. Foi uma ação nacional promovida pelo movimento Vem Prá Rua. Um caixão tinha ao lado um banner com os dizeres “Urgente! Velório do STF”, com a imagem do presidente do STF, Dias Tóffoli, que desempatou a votação.

 

 

No horário caía uma chuva fraca, foi uma convocação em cima da hora, todos fatores que prejudicaram uma adesão ainda maior, como tem sido nas últimas manifestações. Parte dos participantes usavam camisas amarelas com detalhes em verde, lembrando as cores nacionais e sem fazer alusão a nenhum partido.

 

 

Lula deixou a carceragem da Polícia Federal (PF) por volta das 17h40min de sexta-feira (9/11/19) em Curitiba após o juiz federal da 12ª Vara, Danilo Pereira Júnior, autorizar sua soltura. O ex-presidente estava preso desde 7 de abril do ano passado pela condenação no caso do triplex do Guarujá (SP), um dos processos da Operação Lava Jato. Ele deixou a sede da PF pela porta da frente, acompanhado por parlamentares do PT e seus advogados. Ele caminhou em direção aos apoiadores que o esperavam em um palco, onde fez um pronunciamento aos militantes.

 

Foto: Gibran Mendes / CUT Paraná

 

Em um discurso de aproximadamente 20 minutos, Lula agradeceu aos militantes do PT que fizeram um acampamento na frente da PF em Curitiba durante os 580 dias de duração da prisão. O ex-presidente também disse que vai retornar para São Paulo e participará de reuniões no Sindicato dos Metalúrgicos durante o fim de semana.

O presidente Jair Bolsonaro, se expressou pela primeira vez de forma indireta sobre a soltura de Lula através de uma postagem no Twitter. “Amantes da liberdade e do bem, somos a maioria. Não podemos cometer erros. Sem um norte e um comando, mesmo a melhor tropa, se torna num bando que atira para todos os lados, inclusive nos amigos. Não dê munição ao canalha, que momentaneamente está livre, mas carregado de culpa”.

Bolsonaro e o ex-juiz Sérgio Moro, responsável pela condenação de Lula no julgamento em primeira instância também foi sutil na sua crítica. “Lutar pela Justiça e pela segurança pública não é tarefa fácil.Previsíveis vitórias e revezes. Preferimos a primeira e lamentamos a segunda,mas nunca desistiremos.A decisão do STF deve ser respeitada,mas pode ser alterada,como o próprio Min. Toffoli,reconheceu, pelo Congresso.”

Posts relacionados

Top