Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Pais visitam filha que não viam há 5 meses e são recebidos com revólver pelo genro

 

 

A Polícia Militar foi acionada às 17h22min deste sábado (5/10/19), depois que familiares tentaram visitar a filha e foram ameaçados com arma de fogo. Tudo começou quando os pais e o irmão de uma mulher, foram até sua casa, já que não a viam há mais de 5 meses. A filha do casal mora com o companheiro na Rua Bahia, no bairro Salto, em Blumenau, e estavam preocupados com seu estado de saúde, por sofrer com lapsos de transtornos mentais.

Eles disseram aos policiais, que quando chegaram no local, perceberam a televisão ligada e chamaram pelo companheiro dela. O genro apareceu no terreno do imóvel, e após reconhecê-los, disse que não iria atendê-los e nem abrir o portão. Depois entrou na casa e teria voltado com um revólver na mão, em postura descontrolada e tom agressivo, apontando a arma e ameaçando atirar em todos.

Os familiares saíram correndo buscando um lugar longe da residência e ligaram para a polícia. Ao chegar e tomar ciência dos fatos, a guarnição solicitou apoio para prosseguir na abordagem. Do lado de fora da residência, os policiais chamaram pelo morador, que só veio para conversar no portão após várias tentativas.

O homem confirmou a visita da sogra, sogro e cunhado por volta das 17h, mas como ela não estaria em casa, passaram a chamar o seu nome. Foi quando apareceu na parte externa, com uma arma na mão pronta para usar. Ele disse que em nenhum momento apontou o revólver, apenas caminhou na direção deles. Por fim, disse à guarnição que já foi Policial Civil e atualmente trabalha na prefeitura.

Após ouvir as versões dos envolvidos, os policiais pediram que ele apresentasse o armamento, sem munições com o documento de registro. Primeiro não quis obedecer, mas depois de muita insistência, entregou o revólver calibre 38 (RH643926), com registro válido até dia 28/12/2019. A guarnição avaliou que se tratava de um crime de ameaça e perguntou para as vítimas, que fizeram questão de registrar um boletim de termo circunstanciado.

Todos foram informados sobre a data, horário e local da audiência perante o juiz. O revólver foi apreendido cautelarmente, por se tratar do instrumento do crime de ameaça. Também foi levado em consideração que havia real e iminente risco à integridade física dos envolvidos se a arma continuasse com o homem, já que teria demonstrado sinais de descontrole emocional.

De acordo com a PM, era visível seu estado de embriaguez, pelo hálito etílico, desequilíbrio, falta de coordenação e olhos avermelhados.

Posts relacionados

Top