Alunos de escola municipal aprendem na prática conceitos de sustentabilidade com o projeto “Energias Renováveis”

 

Por Claus Jensen, com cobertura de Marlise Cardoso Jensen

Na semana passada (1/9/17), a Escola Básica Municipal Lauro Müller promoveu um evento para apresentar os resultados do projeto “Energias Renováveis”, que envolveu 450 alunos. A proposta foi construir um sistema de coleta de água da chuva, painéis de energia solar com material reciclável e utilização de biomassa como adubo para a horta, com vegetais cultivados para serem usados na merenda.

“A EBM Lauro Müller já possui movimentos, formais e informais, que buscam trabalhar questões que vão além dos conteúdos curriculares. Identificamos como um desafio o uso da temática Energias Renováveis como forma de inserir o estudante em atividades que estejam cada vez mais conectadas ao seu meio”, explica a professora de Ciências Bruna Scopel, uma das coordenadoras do projeto na escola.

Scopel queria que os alunos entendessem na prática o conceito de sustentabilidade. Mas só foi graças a parceria do Núcleo de Energias Renováveis da ACIB, da empresa Hemmer Alimentos (que fica na frente da escola) e dos próprios professores, que o projeto aconteceu. Energias Renováveis é transdisciplinar e envolveu todas as séries, do pré ao 9° ano. A captação da água da chuva será usada para regar a horta e na limpeza da escola.

As empresas que fazem parte do núcleo da Acib, ofereceram conhecimento técnico e doaram os materiais para os sistemas de captação de água da chuva e aquecimento solar da água. Segundo Matias Kremer, vice-coordenador do Núcleo de Energias Renováveis da ACIB,  a Lauro Müller foi a primeira escola em que foi realizada uma parceria dessas. Mas a intenção é que esse modelo seja aplicado em outras escolas do Vale do Itajaí ou até pelo Estado.

O equipamento de aquecimento solar, foi montado pelo técnico de uma das empresas em um dia, com material reciclável. Foram utilizadas uma bombona de água envolta em manta térmica (utilizada em telhados) e 96 garrafas pet com caixas de leite para fazer o painel da placa solar, todas ligadas por uma tubulação de PVC, montadas de forma inclinada.

A água passa por uma tubulação e entra na estrutura das garrafas pet, onde é aquecida pelo calor do sol. Como a água quente é mais leve que a fria, ela “sobe” pela tubulação de volta à bombona onde fica armazenada em uma temperatura de 40°C. Os alunos levaram apenas dois dias para montar toda a estrutura.

No final do projeto será distribuída uma cartilha aos pais dos alunos, ensinando o passo a passo para que eles possam construir um sistema de captação de água da chuva nas suas próprias residências.

No vídeo você poderá entender melhor o projeto:

 

O Blumenauense

Denúncias, problemas ou elogios? Nos escreva para contato@oblumenauense.com.br

Posts relacionados

*

*

Top