Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Coordenador do Sintraseb e secretário da administração falam sobre a paralisação dos servidores

 

Fotos: Soni Robinson Witte

Desde a manhã desta terça-feira (19/06/18), servidores públicos participam de uma paralisação na frente da prefeitura, depois que sindicato e administração municipal não chegaram a um acordo sobre a campanha salarial 2018.

 

 

Sérgio Maurici Bernardo, coordenador geral do Sindicato Único dos Trabalhadores no Serviço Público Municipal de Blumenau (Sintraseb), disse em entrevista realizada por Wellington Civiero Ferreira, que o objetivo da paralisação é forçar o governo a retomar a negociação, para que atenda uma pauta deliberada e aprovada em assembleia.

O prefeito Mário Hildebrandt, em duas rodadas de mesas de negociação, já tinha deixado claro que não iria atender nada que causasse impacto financeiro nas contas do município para este ano. Mas que iria dar um reajuste em janeiro de 2018 aplicando o índice do INPC, tanto aos salários quanto ao vale alimentação.

Sérgio também disse que em assembleia nesta tarde, os servidores irão decidir o rumo do movimento, caso até às 16h, o prefeito não retome a mesa de negociações. A partir daí será avaliado quando haverá uma nova paralisação. Mas ele garante que não será na quarta-feira. Isso se o governo não atender as reivindicações, o que parece provável. Sérgio garante que a nova data, se houver, será comunicada com antecedência para que a população se prepare.

 

 

O Secretário de Administração da prefeitura, Anderson Rosa, disse em entrevista, que dos 24 pontos de reivindicações apresentados pelo Sintraseb, todos que causem impactos financeiros não irão avançar. “Na semana passada o sindicato respondeu nossa proposta, que foi integralmente rejeitada, e informando que faria uma paralisação hoje, com o compromisso de não avançar nas atividades essenciais. O que nos preocupa, é que foram afetados serviços de ESF, AG e educacionais, que são importantes para a comunidade”, disse Rosa.

 

Por Wellington Civiero Ferreira [NW Blumenau]

Ele reforçou que ainda estamos vivendo uma crise, com queda na arrecadação de impostos e no próprio faturamento das empresas. Rosa lembrou que além da proposta de aplicação do INPC, tem que levar em conta que a prefeitura está pagando os salários em dia.

Estamos adiantando o 13º salário para o dia 29 (junho), numa tentativa de dar fôlego ao servidor, já que sabemos que a vida está difícil para todo mundo. Mas é importante que se saiba, que esse provisionamento se esgota aqui. A segunda parcela do 13º que somos obrigados a pagar em dezembro, começamos a economizar e fazer saldo prévio. Se fôssemos atender a cada um dos itens, chegaríamos facilmente a R$ 100 milhões”, finaliza o secretário.

O Blumenauense

Denúncias, problemas ou elogios? Nos escreva para contato@oblumenauense.com.br

Posts relacionados

*

*

Top