Entrevista com Luciano Hang: Coragem para mudar. O Brasil precisa de nós!

 

Texto e fotos: Claus Jensen

Um dos empresários de maior sucesso em Santa Catarina, com mais de 100 lojas espalhadas pelo Brasil, deu um “sinal político” na última sexta-feira (5/01/18). Na oportunidade, Luciano Hang, dono da Havan, disse que se desfiliou do PMDB, o qual fazia parte desde jovem, mas também não revelou claramente porque convocou uma coletiva. Todos os jornalistas esperavam algum anúncio de candidatura ou pelo menos intenção. A impressão foi de que serviu para chamar a atenção das diferentes siglas partidárias em busca da melhor negociação. Quem soube interpretar as entrelinhas, entendeu o recado.

No discurso à imprensa, defendeu valores que passam pelo que ele sabe fazer muito bem: administrar recursos, sejam financeiros, patrimoniais ou humanos. Se não fosse assim, jamais teria conseguido erguer seu império. Apesar de tudo, é uma pessoa acessível que dá atenção a todos veículos, desde as grandes redes de TV, até setores da imprensa sem essa abrangência.

Luciano Hang também é um homem que gosta de se comunicar. Sua página no Facebook tem mais de 253 mil curtidas. Aproveitei para falar com ele sobre o tema do encontro, estampado nas camisetas que ele e seus colaboradores usavam: “Coragem para mudar. O Brasil precisa de nós”. O assunto, claro, política, mas não as pretensões e sim o que devemos fazer para melhorar ela no país.

OBlumenauense: Como podemos transformar o Brasil, incentivando as pessoas de bem a se envolverem mais na política?

Luciano Hang: Primeiro é mudar nosso jeito de ser. Durante muitos anos, se pregou neste país o assistencialismo. O Brasil nunca foi um país só capitalista. Eu digo sempre que somos capitalistas, socialistas e assistencialistas. A constituição de 1988 fez com que houvesse mais direitos do que deveres. Nós temos que começar a acreditar no Brasil, como disse antes na frase do John Kenneth: “Não é o que você quer do seu país, mas o que você pode dar a ele”.

Eu acredito que nesse ano as pessoas vão confiar (nas eleições) mais em (eleger) gestores públicos. Pessoas que tem a capacidade de mudar o seu município, estado ou país através da gestão. Com administração bem feita e contabilidade. Muitos políticos não sabem que 1 + 1 é igual a 2. Eles gastam 5, 6 ou 10 milhões; enquanto o país, a cidade e o estado, ficam endividados.

Temos os impostos e produtos mais caros do mundo, graças a essa política perversa de que um pega e deixa a dívida para o outro. E você percebe que todo o aparato de arrecadação não dá conta de pagá-las. Nós temos um deficit de R$ 150 bilhões, graças aos maus planejamentos e investimentos feitos nos últimos anos.

 

 

OBlumenauense: Se Luciano Hang fosse presidente ou governador, qual seria a primeira providência para arrumar a casa? Sabemos que o Estado é atrelado a uma série de benefícios nos órgãos públicos. Além disso, temos os próprios presidentes dos partidos que decidem a direção política.

Luciano Hang: Essa mudança tem que partir de nós e nossos pensamentos. Eu não tenho dúvidas de que as crises que passamos, nos fez pensar sobre quem votamos na última vez. O que esse político fez com o meu voto? Partindo disso, temos que fazer essas mudanças. Em Santa Catarina, o Estado mais bem administrado do país, ainda temos muitas mordomias, privilégios, além de salários grandiosos.

São pessoas (do governo) que se aposentam cedo, ganhando muito, e quem paga essa conta somos nós. Quer dizer, se alguém se aposenta com 50 anos e vai viver mais 30 ou 40, ficará ganhando R$ 30, R$ 40, R$ 50 ou R$ 100 mil por mês. E nós, como brasileiros, temos que aceitar isso por que há uma lei (que permite). Troca essa lei.

Precisamos ter coragem, tanto no legislativo quando no executivo, para mandar projetos e acabar com os privilégios. E esse dinheiro, tem que ir para a educação, saúde, infraestrutura e segurança.Eu vejo uma mudança nesse país, e ela começa em outubro. Estou investindo nele, porque acredito nessa mudança.

Se eu notar que o Brasil vai virar à esquerda de novo, e voltar o populismo, vou diminuir minha vontade de investir e crescer. O país fica mais pobre e são menos empregos. Isso não acontece só comigo, mas com todos os empreendedores. Temos que acreditar mais nos empresários e em nós mesmos, e não no discurso fácil desses políticos que dizem dar tudo para você. Mas quem paga essa conta somos nós.

OBlumenauense: Você tem alguma preferência de candidato ou cargo político para exercer no futuro?

Luciano Hang: Como eu falei hoje, o jogo está jogado. Eu me coloquei à disposição para o que der e vier. Tanto apoiando alguém, quanto um motivador para mostrar o caminho que está certo. Eu noto pela minha empresa o que deu certo e errado. Viajando pelo mundo, vejo nos países e nas cidades que deram certo e errado. Eu acho que posso colaborar e por isso vou me manifestar esse ano, querendo um país melhor. Viva o presente e futuro, não podemos ficar presos no passado.

Se quiser pode escutar a entrevista na íntegra:

Claus Jensen

Trabalho com publicidade há mais de 29 anos, fiz teatro durante 8, apresentei programa de televisão outros 5 e sou blogueiro desde 2007. Mas minha maior paixão é a família, e claro, essa fascinante Blumenau.

Posts relacionados

*

*

Top