Filha que teve a mãe brutalmente morta acredita que assassino saiu do presídio

Em agosto de 2014, um crime bárbaro chocou o Vale do Itajaí. A diarista Marli Lima, de 43 anos, foi morta e decapitada em Gaspar, mas somente a cabeça acabou sendo localizada no Rio Itajaí-Açú dentro de uma sacola em Navegantes (SC). Foi necessário exame de DNA para que fosse confirmada a sua identidade.

Em novembro de 2016, o ex-namorado Joaquim de Souza, de 53 anos, foi condenado como responsável pelo assassinato. Após o julgamento, ele foi encaminhado para cumprir sua pena no presídio Regional de Blumenau.

Ficaram órfãos a filha de Marli, Vivian de Lima Panzenhagen, que hoje tem 23 anos, e seu irmão Gabriel, de 14. Na semana passada, Vivian recebeu uma notícia que a está preocupando muito. Nessa entrevista emocionante feita na noite deste domingo (29/5/17), ela fala como tem sido a difícil vida sem a presença da mãe.

 

Imagens: Marlise Cardoso Jensen

O Blumenauense

Denúncias, problemas ou elogios? Nos escreva para contato@oblumenauense.com.br

Posts relacionados

*

*

Top