Grupo ‘Teatrando Por Aí’ faz duas apresentações em escola de Blumenau

 

Em tempos de comportamentos indelicados e discursos inflamados, falar de gentileza e ter consciência do papel político e social que se tem na sociedade, torna-se mais do que preciso. E é para falar de Gentileza, essa velha senhora que anda tão esquecida, que a trupe de Florianópolis, Teatrando Por Aí, estreia nova turnê em Santa Catarina.

Nesta sexta-feira, dia 1º de setembro, a trupe fará duas apresentações na Escola (EEB) Profª Izolete Elisa Gouveia Muller, localizada na Rua Adriano Schaefer, nº 77, bairro Valparaíso, em Blumenau.

Na peça, Malu é uma adolescente que costuma ter hábitos gentis e seguir as convenções da boa educação. Porém, ao ser tão destratada pelas pessoas nas ruas, ela resolve não ser mais gentil enquanto não receber sua gentileza de volta. Nesta decisão, a menina dá início à máquina da “desgentileza” e desperta uma engrenagem de más ações entre as pessoas. Ao viver as desventuras da vida em coletivo a menina tenta desfazer a confusão por ela iniciada e se depara com um longo caminho pela frente. Será que Malu está preparada para viver uma jornada cheia de realidade e situações absurdas?

 

 

Escrito pela atriz e dramaturga Marina Monteiro, também autora de outras peças do grupo, ‘Onde foi parar a D. Gentileza?’ é o primeiro espetáculo da companhia voltado ao público pré-adolescente e adolescente, entre 10 e 15 anos. No texto, Monteiro observa que falar de gentileza é mais amplo que falar das convenções da boa educação. “Falar de gentileza é uma atitude política, de vida, humanitária, de transformação de mim mesma, e do mundo. Por que não?”, questiona. A autora acrescenta que a Gentileza não tem uma só cara, uma só idade, nem uma só cor. “Ela é muitas, todas, é potente. E desde que acreditemos e lutemos por ela, a Gentileza sempre será encontrada durante a nossa jornada”.

A turnê integra o projeto Teatrando por Aí nas Escolas e tem patrocínio da empresa SCGÁS, via Lei Federal de Incentivo à Cultura, a Lei Rouanet. Segundo o presidente da SCGÁS, Cósme Polêse, iniciativas como essa são importantes para o futuro do teatro e são preciosas para a nossa sociedade. “É um orgulho para a SCGÁS apoiar novamente o projeto Teatrando por Aí, que pensa a arte como um campo de pesquisa e aproxima as crianças trazendo mensagens educativas relevantes ao momento atual da sociedade”, revela Polêse.

De acordo com Eder Schmidt, ator e coordenador geral do projeto, cada turnê é aguardada com alegria tanto pelos alunos e professores, quanto pelo grupo que já tem nove anos de estrada. “Foram mais de 700 apresentações em escolas públicas e mais de 60 mil alunos contemplados pelo Brasil afora. Um sentimento de orgulho por esse projeto cultural”, afirma Schmidt. O projeto Teatrando por Aí nas Escolas, completa o ator, “consiste em levar a arte teatral para os públicos infantil e juvenil das escolas públicas de ensino fundamental em Santa Catarina, contribuindo para a sua democratização e popularização”.

Ao todo são 50 apresentações gratuitas, no período de 15 de agosto a 06 de setembro, em 16 escolas públicas das cidades de Criciúma, Tubarão, Florianópolis, São José, Palhoça, Balneário Camboriú, Joinville, Blumenau, Lages e Rio do Sul.

Agenda de apresentações

De 15 a 18 de agosto: Criciúma e Tubarão (12 apresentações)
De 21 a 25 de agosto: Florianópolis, São José e Palhoça (16 apresentações)
De 29 de agosto a 01 de setembro: Balneário Camboriú, Joinville e Blumenau (12 apresentações)
De 04 a 06 de setembro: Lages e Rio do Sul (10 apresentações)

Ficha técnica:

Texto: Marina Monteiro
Direção: Taís Trindade
Elenco: Eder Schmidt, Luciana Holanda, Marina Monteiro, Raquel Stüpp
Cenário: Marcos Oliveira
Figurino: Loli Menezes
Trilha Sonora: Fernando Bresolin
Arte Gráfica: Chouette (Fábio Dudas e Paula Albuquerque)
Produção: Grupo Teatrando Por Aí

Histórico do grupo:

Teatrando Por Aí é formado por Eder Schmidt, Marina Monteiro e Raquel Stüpp, graduados no curso de Artes Cênicas da UDESC. Foi criado ainda dentro da universidade, em 2005, e as afinidades pessoais e estéticas percebidas entre os integrantes contribuíram para a continuidade e pesquisa do grupo após a graduação. Eis que percebendo a carência de espetáculos infantis de qualidade, mais especificamente em Florianópolis, que o grupo começou a se dedicar à pesquisa e ao desenvolvimento de projetos teatrais direcionados à infância. Em 2007, então, o grupo criou o espetáculo “Limpando, Cuidando e Perfumando a Natureza”, que por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e do patrocínio de empresas públicas e privadas, realizou gratuitamente centenas de apresentações em escolas públicas de SC e RS. Mais dois espetáculos compõem o repertório do grupo atualmente: “Tecnópolis – Sem Livro Pra Contar História”, estreado em 2014, tendo realizado a primeira turnê do grupo fora da região Sul, no estado de Minas Gerais e “Onde Foi parar a Dona Gentileza?”, estreado em 2015 e voltado ao público de 10 a 15 anos.

Ambos os espetáculos dão continuidade à iniciativa do grupo em promover o acesso democrático ao teatro, contribuindo para a formação de plateias. Investindo em textos de autoria própria o grupo segue sua pesquisa buscando o questionamento constante, a cada trabalho investigando linguagens que busquem novas possibilidades no teatro para infância e juventude.

O Blumenauense

Denúncias, problemas ou elogios? Nos escreva para contato@oblumenauense.com.br

Posts relacionados

*

*

Top