Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Hospital de Blumenau comemora 109 anos com certificação de segurança do paciente


 

 

Por Claus Jensen, com fotos de Marlise Cardoso Jensen

Em outubro de 2018, o Hospital Santa Isabel (HSI) comemora 109 anos de fundação. A data foi duplamente especial, porque no dia 4 recebeu a Certificação em Nível 1 da ONA – Organização Nacional de Acreditação, resultado do trabalho que durou cerca um ano. Foi um esforço conjunto com o apoio da Direção, do Setor da Qualidade e a cooperação desde colaboradores, médicos e terceirizados.

 

 

Dirceu Rodrigues Dias, diretor executivo do HSI, comemorou o resultado lembrando da importância para a comunidade: “A certificação tem uma grande importância para o hospital, porque representa melhorias importantes no processo e na qualidade de atendimento dos nossos pacientes. Durante o último ano toda nossa equipe se dedicou nesse processo, que continua, para oferecer um serviço mais humano e profissional de quem busca o hospital. Receber o selo nesta data, representa para nós um presente que é dado para toda comunidade. O projeto já estava em nosso planejamento estratégico há muitos anos. Com a vinda da associação Congreção de Santa Catarina ele ganhou força e culminou na acreditação Nível 1”.

 

 

A ONA é uma instituição que faz certificação, enquanto a Fundação Vanzolini, entidade sem fins lucrativos, é a acreditadora. Durante o processo de trabalho, os avaliadores vão até a instituição para verificar as conformidades do local.

“No caso do Hospital Santa Isabel, ele foi certificado no nível 1, que preza pela segurança do paciente. Os próximos objetivos são conseguir os Níveis 2 e 3. Muitos acham que qualidade gera custo. Eu sempre digo que custo se gera ao trabalhar sem qualidade, porque o descuido com a segurança do paciente pode acabar causando algum incidente. Aí sim, terá um custo maior”, disse Angelita Augusta Zanini Teixeira, do departamento comercial da Fundação Vanzolini. Segundo Angelita, cerca de 148 pessoas morrem por dia pela falta de segurança do paciente.

 

 

Bruno Casagrande, também da fundação, explica que todo processo inicia a partir do momento em que a diretoria toma a decisão de fazer a certificação. “Todas as organizações tem uma missão, então quando a dela é obter uma certificação, juntamos as guias e normas, e a empresa tem que entender e interpretar os requisitos, para criar procedimentos específicos que a fundação irá avaliar. No HSI eles foram criados pelo departamento de qualidade, mas você pode contratar uma empresa especializada para fazê-lo”, comentou.

A fundação vai fazer as avaliações, com as chamadas de conformidades e saber se os critérios foram cumpridos. “Se for identificada uma não conformidade, nós agendamos uma revisita para serem tomadas algumas ações corretivas e finalizar o processo de certificação, que é o reconhecimento público das práticas dessa organização”, comenta Bruno.

Esse acerto significa que as normas e os procedimentos estão sendo seguidos à risca para se ter um processo de melhoria contínua. Como se trata de um hospital, é uma forma de prevenir problemas futuros como infecções hospitalares, ou outros que de alguma forma possam impactar na operação.

“No Cadastro Nacional de Empresas de Saúde, de um total de 5 mil, somente 400 são acreditadas pela ONA, o que representa apenas 8%. Ainda não existe uma política de qualidade voltada para segurança, de melhores práticas na operação hospitalar, busca de melhorias contínuas e de prevenção de erros,” lembra Bruno.

 

Claus Jensen

Trabalho com publicidade há mais de 29 anos, fiz teatro durante 8, apresentei programa de televisão outros 5 e sou blogueiro desde 2007. Mas minha maior paixão é a família, e claro, essa fascinante Blumenau.

Posts relacionados

Top