Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Ricardo Stodieck participou do The Noite, de Danilo Gentili, nesta madrugada de quinta (4/10)

 

 

Ricardo Stodieck, Secretário de Turismo e Lazer de Blumenau e presidente do Parque Vila Germânica, foi um dos convidados de Danilo Gentili, para o seu programa The Noite, no SBT. O tema foi a cultura alemã e o apresentador estava vestido a caráter.

Ao lado do blumenauense, estavam Walter Cavalheiro Filho, presidente e fundador da Oktoberfest de São Paulo; que festejou sua segunda edição; e Philipp Schiemer, embaixador da festa paulista e presidente da Mercedes-Benz no Brasil. O programa passou por volta da 1h10min desta quinta-feira (4//10/18) e foi gravado, já que Stodieck participou da abertura da festa em Blumenau.

 

Ricardo Stodieck, Philipp Schiemer, Walter Cavalheiro Filho e Danilo Gentili

 

O paranaense Cavalheiro disse que sua descendência é italiana e explicou para Danilo a origem da Oktoberfest em Munique há 208 atrás, quando houve um casamento real. Mas não disse que foi precisamente em 12 de outubro de 1810, quando o Príncipe Herdeiro Luís, que depois tornou-se Rei Luís I, casou-se com a Princesa Teresa da Saxônia-Hildburghausen. Na época, todos os cidadãos de Munique foram convidados para participar da festa nos campos em frente à porta da cidade, para comemorar o feliz evento real.

O alemão Philipp Schiemer está há 16 anos no Brasil e disse que teve um pouco de dificuldade em aprender o português, que hoje domina, mas não perdeu o sotaque. Em Munique, durante os 14 dias de festa, participam do evento 7 milhões de pessoas. Na sua cidade natal, Stuttgart, passam 6 milhões.

 

 

Ao ser questionado por Danilo porque o brasileiro ama tanto a Oktoberfest, Ricardo Stodieck disse que é uma festa muito animada. “O alemão é muito divertido, brincalhão, gosta de boa comida e cerveja. Em qualquer lugar do mundo onde tem descendente de alemão, tem Oktoberfest. Tem no Japão, na China, Canadá, Estados Unidos, … A mais antiga nas Américas é na Argentina, e no Brasil, é a de Itapiranga, em Santa Catarina. No Rio Grande do Sul, tem duas. Cada uma tem características um pouco diferentes”, comentou.

Ao comparar com a festa de Munique, Stodieck disse que a diferença já começa pelo tamanho do caneco de chope que lá é de um litro. Após Gentili ficar surpreso com o volume da bebida, Schiemer completou dizendo que em algumas regiões da Alemanha, a cerveja não é considerada bebida alcoólica e sim alimento. Continuando a comparação, Ricardo disse que em Blumenau se dança muito mais, com pistas para as pessoas se divertirem. Ele também lembrou da grande variedade de chopes na versão que chamou de tropicalizada.

Nosso secretário mostrou que quando o assunto é Oktoberfest, ele conhece muito bem. Confira a entrevista na íntegra:

 

Claus Jensen

Trabalho com publicidade há mais de 29 anos, fiz teatro durante 8, apresentei programa de televisão outros 5 e sou blogueiro desde 2007. Mas minha maior paixão é a família, e claro, essa fascinante Blumenau.

Posts relacionados

Top