Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Sesc abre vagas gratuitas para aulas de gaita em Lages e Blumenau

Foto: SESC / divulgação

 

O Sesc em Santa Catarina está com inscrições abertas para o processo seletivo para ingresso no Programa de Comprometimento e Gratuidade (PCG), Edital de Bolsas de Estudos para o projeto Fábrica de Gaiteiros – aulas de gaita-ponto / acordeon, em Lages e também agora em Blumenau. O projeto atende crianças e adolescentes, de 7 a 15 anos, que aprendem a tocar o instrumento que projetou Renato Borghetti para o Brasil e exterior.

Para se candidatar no processo seletivo de ingresso ao Programa de Comprometimento e Gratuidade (PCG), o responsável legal precisa comprovar renda familiar bruta de até três salários mínimos, ou seja, R$ 2.862,00 e é necessário que o aluno atenda aos seguintes requisitos básicos: ser preferencialmente dependente de comerciário; estar matriculado ou ser egresso da educação básica da rede pública de ensino. As aulas são gratuitas e individuais e acontecem uma vez por semana, sendo que os alunos utilizam os instrumentos cedidos pelo projeto de Borghetti, confeccionadas com madeira certificada de eucalipto, proveniente de plantios renováveis.

O Edital 001/2018, disponível no site do Sesc/SC, disponibiliza 36 vagas de bolsas para o projeto em Lages, já o Edital 003/2018, disponibiliza 35 vagas de bolsas para Blumenau. As inscrições podem ser feitas pelos pais ou responsáveis, no espaço Relacionamento com Clientes do Sesc em Lages (Av. Dom Pedro II, 1693 – Bairro Universitário) e Blumenau (Rua Dr. Amadeu da Luz, 165 – Centro), sempre do dia 1º a 10 de cada mês, das 08h às 20h. Mais informações podem ser consultadas pelo telefone 0800 645 5454.

Desde que iniciou as atividades no Centro Cultural Vidal Ramos – Sesc em Lages, em dezembro de 2016, a Fábrica de Gaiteiros atrai a atenção do público e a procura pelas aulas de gaita-ponto / acordeon tem aumentado a cada dia. Além do conhecimento, as aulas também proporcionam a preservação da cultural tradicionalista. “Essa gaita ponto estava caindo no esquecimento porque o pessoal que tocava era o pessoal mais velho, pessoal mais antigo. E aí de repente você vê essa criançada de 7 até 15 anos participando do projeto. Esse é o pagamento maior”, afirmou Roberto Anastácio Martins, Diretor Regional do Sesc em Santa Catarina.

O Diretor ainda enfatiza o potencial transformador do projeto na vida das crianças e adolescentes atendidos pela Fábrica de Gaiteiros. “É um projeto social que permite que alunos que normalmente não teriam acesso a aulas de gaita, de repente estão tocando e se desenvolvendo. É muito importante até pela questão de que a gaita é um instrumento elitizado pelo alto custo para ser adquirido, e através do projeto as crianças e adolescentes podem participar de aulas gratuitas e sem a necessidade de adquirir o instrumento”, finaliza Martins.

Sobre a Fábrica de Gaiteiros

O acordeonista gaúcho Renato Borghetti, em suas viagens e shows pelo interior do Brasil e Rio Grande do Sul, recebe milhares de correspondências e pedidos verbais de fãs e admiradores. Entre tantas demandas, passou a carregar consigo algumas que considerou especiais: aquelas que solicitavam doação de gaitas ou auxílio para aquisição do instrumento, demasiadamente caro para os padrões brasileiros. “Essas cartas e e-mails me fizeram perceber o quanto era restrito o acesso da gaita-ponto aos interessados de baixa renda, evidenciando, assim, a carência de um projeto que permitisse o estímulo e a inclusão de jovens talentos na perpetuação da autêntica cultura gaúcha, através da gaita de oito baixos”, comenta Renato.

Unir inclusão social, aumentando a autoestima e o espírito de coletividade, ao mesmo tempo estimulando a sensibilidade e conhecimento da cultura local é a finalidade do projeto, com uma gaita social, que estimula crianças e jovens a se interessarem pelo instrumento, oferecendo aos mesmos as devidas condições para o aprendizado e para futura aquisição do instrumento, criando uma verdadeira “Fábrica de Gaiteiros”.

A “Fábrica de Gaiteiros” também está implantada nos municípios gaúchos de Porto Alegre, Guaíba, Barra do Ribeiro, Butiá, Tapes, São Gabriel, Bagé, Lagoa Vermelha e nos municípios catarinenses de Lages e Blumenau, com a participação de mais de 200 alunos.

Fonte: SESC 

O Blumenauense

Denúncias, problemas ou elogios? Nos escreva para contato@oblumenauense.com.br

Posts relacionados

*

*

Top