Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Um patrimônio histórico de Blumenau e da Itoupava Central caindo aos pedaços


 

Fotos: OBlumenauense

Uma casa antiga ao lado do ambulatório Guilherme Jensen, esconde o fato de já ter sido lar de uma família com muita influência, enquanto proprietária da primeira agroindústria da colônia Blumenau. Construída em 1940 por Carlos Jensen, sucessor de Jens Jensen, fundador da Cia Jensen, uma potência industrial que fechou no final da década de 1990.

 

 

Apesar de sua importância histórica, a antiga residência dos Jensens, construída com a técnica de alvenaria de tijolos autoportantes, está abandonada e caindo aos pedaços. Eu que tenho um laço distante com a família, mas o mesmo sobrenome, lamento que o resto de um pedaço da história tão importante no bairro Itoupava Central esteja abandonada pelo poder público. A edificação é cadastrada pelo município como patrimônio cultural, mas hoje é frequentada mesmo por pessoas sem teto ou drogados, conforme alguns relatos que recebi.

 

 

O poder público poderia transformar o local em algo útil para ser usado como espaço para a comunidade. Poderiam vender produtos artesanais, utilizar para oficinas, etc … Agora, uma reforma talvez seria até mais cara do que construir algo novo. Fica a sugestão para a iniciativa privada ajudar nessa tarefa de não jogar fora o passado.

Assim como a casa dos Jensens, existem tantas outras que não tem o devido estímulo aos proprietários para que sejam preservadas. Precisamos de uma política de preservação do patrimônio, que funcione na prática. Enquanto na Europa, países arrasados por guerras mantém em pé sua história por milênios, no Brasil, é complicado as construções sobreviverem por 100 anos. Blumenau podia dar o exemplo.

 

Claus Jensen

Trabalho com publicidade há mais de 29 anos, fiz teatro durante 8, apresentei programa de televisão outros 5 e sou blogueiro desde 2007. Mas minha maior paixão é a família, e claro, essa fascinante Blumenau.

Posts relacionados

*

*

Top