Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

VoxxClub: um sucesso formado por integrantes de três países europeus


 

 

Por Claus Jensen

Qualquer Setor do Parque Vila Germânica onde o grupo alemão Voxxclub se apresenta lota. Eles se conheceram estudando música e depois de cantarem em formato capela, sem instrumentos, decidiram apostar na releitura de músicas populares e tradicionais alemãs.

O sucesso veio depois da gravação de um flashmob em um Shopping Center de Munique. Repetiram a dose dentro de um avião. Deu certo misturar boa qualidade musical e descontração, com um toque moderno. Foi o que fizeram com o clássico “Hallo Blumenau” de Helmut Högel.

O quinteto formado em 2012 tem integrantes de três países: Stefan Raaflaub (Basileia), Christian Schild (Hasliberg) da Suíça; Florian Claus (Mainz) e Korbinian Arendt (Munique) da Alemanha; e Michael Hartinger (Feldkirch) da Áustria. Em todos eles se fala o alemão.

Voxxclub já foi convidado para se apresentar em vários países da Europa, na Austrália, na África do Sul e nos Estados Unidos. A primeira vez que vieram como grupo vocal para o Brasil foi em 2016, quando se apresentaram na Oktoberfest. Individualmente já tinham visitado o país. Eles consideram Blumenau a sua casa no Brasil e elogiaram a qualidade de nossas cervejas.

Neste ano eles voltaram para a cidade e se apresentaram à meia-noite de quinta-feira (18) e 22h15min de sexta (19). Neste sábado (20) se apresentam às 22h30min e amanhã (21) às 22h, todas no Setor 2.

Ontem (19), tive a oportunidade de fazer uma entrevista com o grupo no Setor 2 do Parque Vila Germânica. Um problema na configuração do meu celular, afetou a captação do vídeo e áudio, prejudicando a qualidade final. Sons do fundo das equipes de manutenção, interferiram apesar do microfone direcional.

A gerente de marketing do Parque Vila Germânica, Patrícia Hellmann tem feito o papel de tradutora nas várias entrevistas que o grupo faz. Apesar de falar alemão, a falta de prática nos faz perder vocabulário e achei melhor contar com a ajuda dela. Acabei fazendo de cadeira de rodas mesmo e fizeram questão que ficasse no meio.

Espero que gostem, tanto quanto eu gostei de fazer.

 

O Blumenauense

Denúncias, problemas ou elogios? Nos escreva para contato@oblumenauense.com.br

Posts relacionados

Top