Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Queda de eucalipto no Alto Vale do Itajaí deixa 21 mil imóveis sem energia elétrica

A queda de um eucalipto sobre a Linha de Transmissão de 69KV entre Rio do Sul e Taió deixou 21 mil unidades consumidoras desligadas nas cidades de Taió, Pouso Redondo, Mirim Doce, Salete e Rio do Campo, no Alto Vale do Itajaí.

Segundo a Celesc, a ocorrência foi registrada por volta das 20h desse domingo (23/12/18) e uma equipe especializada em Alta Tensão foi acionada para percorrer a extensão da Linha em busca do defeito. O abastecimento de energia elétrica foi restabelecido na região às 5h desta segunda-feira (24).

Enquanto isso, outras equipes de apoio no Centro de Operação da Celesc trabalhavam para para remanejar remotamente parte da carga. Às 23h45min, mais de 19 mil consumidores já estavam com a energia religada, restando cerca de 1,5 mil unidades consumidoras fora de operação, mais especificamente as localizadas próximas ao ponto em que os técnicos trabalhavam na remoção da árvore e recomposição da Linha de Transmissão.

Vegetação na rede é a principal causa de falta de energia no estado

A queda de árvores, galhos e cascas de plantas sobre os cabos da rede elétrica, principalmente durante tempestades com ventos, é responsável por mais de 30% dos desligamentos de energia em Santa Catarina. Para prevenir acidentes e conscientizar a população dos perigos da vegetação próxima à rede, a Celesc busca orientar os consumidores sobre cuidados no plantio e manutenção das árvores, tanto nas cidades quanto áreas rurais.

“O primeiro passo é observar o local antes de plantar uma muda, por exemplo. A planta que hoje aparenta ser de pequeno porte, poderá crescer mais que o e atingir a fiação elétrica, causando um curto circuito”, alerta o gerente da área de pós-operação do sistema elétrico da Celesc, Rodrigo Winck. A responsabilidade pela vegetação em área particular é do proprietário do imóvel, já o que for plantado em áreas públicas como calçadas, canteiros e praças, deve ser mantido pelas prefeituras.

Os moradores que desejarem cortar ou podar árvores em seus terrenos também devem observar se elas estão perto da rede elétrica. Esse tipo de manutenção deve ser realizado por profissionais habilitados e com equipamento de segurança. Sempre que houver proximidade dos cabos, a Celesc deve ser comunicada para prestar auxílio.

Outra observação é quanto à vegetação nativa. Protegida por lei ambiental, ela só pode sofrer intervenção quando oferecer risco à vida das pessoas que vivem circulam no entorno. Nesse caso, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil devem ser acionados para realizar o procedimento.

Celesc também faz a sua parte com o trabalho constante de poda e roçada, realizado nas áreas críticas do estado. Só neste ano de 2018, foram investidos R$ 17,5 milhões nesse serviço, tanto em áreas rurais quanto urbanas.

Como agir com a vegetação:

– Optar por espécies de pequeno porte (máximo 5 metros de altura) para evitar que alcancem os fios elétricos;

– Manter distância segura entre as plantações de árvores de grande porte e a rede elétrica, em especial nas regiões de reflorestamento (mínimo 20 metros
para cada lado do eixo da rede elétrica);

– Informar à Celesc antes de realizar corte de árvores de grande porte próximas à rede elétrica para receber suporte;

– Isolar local e impedir aproximação de pessoas ou animais caso um fio de energia arrebente e caia; além de informar imediatamente a Celesc pelo 0800 48
0196;

– Verificar se equipamentos agrícolas com partes móveis estão em distância segura da rede elétrica;

– Evitar queimadas próximo a postes e fios, tanto o fogo quanto o calor podem causar curto circuitos.

Denúncias, problemas ou elogios? Escreva para contato@oblumenauense.com.br

Posts relacionados

Top